quinta-feira, 11 de novembro de 2021

terça-feira, 26 de outubro de 2021

Técnica de Clark: dissociação radiográfica para visualização de todos os canais.

(Clique na imagem para ampliar)

    Para adequada e completa visualização de todos os canais radiculares presentes em um dente, o Endodontista frequentemente na sua rotina clínica realiza a famosa Técnica de Clark durante a realização das radiografias periapicais.
    Segue como exemplo nesta imagem acima do tratamento endodôntico finalizado em um molar inferior, onde foram realizadas 3 tomadas radiográficas: ortorradial, mesiorradial e distorradial.
    Esta técnica radiográfica permite a dissociação dos canais, através de leve alterações no ângulo horizontal de exposição dos Raios-x.
    Neste link também há uma postagem sobre o emprego da Técnica de Clark: A arte de radiografar e interpretar na Endodontia


 

Retratamento Endodôntico com localização do canal MV2: Proservação de 5 anos.

(Clique na imagem para ampliar)

  Para a execução deste retratamento endodôntico foi utilizado a Tomografia Computadorizada Cone-Beam (CBCT) no planejamento e estudo deste caso que completou 5 anos de acompanhamento clínico-radiográfico.
    Para entendimento e visualização completa, acesse esta postagem anterior neste link: http://endodontiaavancada.blogspot.com/2016/10/uso-da-tomografia-computadorizada-na.html


 

Retratamento endodôntico de caso clínico com diagnóstico de abscesso periapical crônico: 13 anos de proservação.

(Clique na imagem para ampliar)

    13 anos de sucesso para este caso de retratamento endodôntico, em que a condição inicial era de um tratamento endodôntico prévio incompleto, deficiente e  associado a um quadro clínico infeccioso de abscesso periapical crônico.
    Observar o restabelecimento da estrutura óssea que estava comprometida após a reintervenção é o principal sinal de que a terapia endodôntica empregada à época funcionou.

#endodontia #endodontiamicroscopica #endodontiaavancada #endodontics #odontologia #dentistica #brumado #protese  #tratamentodecanal #molarinferior  #rootcanal #marcelcaetano #abscessoperiapical #reparoosseo #pulpcanalsealerEWT #tecnicaMcSpadden #proservacaoendodontica #proservacao13anos #radiografia #radiografiadigital 

 

Proservação clínica-radiográfica de 19 anos de tratamento endodôntico em molar superior: a estabilidade do cimento AH Plus nos tecidos periapicais.

(Clique na imagem para ampliar)

    Poder acompanhar um tratamento endodôntico por um período de 19 anos é motivo de satisfação pessoal para qualquer profissional, pois não é tarefa fácil fazer com que o paciente retorne ao consultório para realização do monitoramento clínico-radiográfico. E você só saberá se seu tratamento resultou em sucesso de você acompanhar...
    Este caso apresentado tem como objetivo maior mostrar a permanência estável do cimento AH Plus nos tecidos periapicais.
    Lamentável que a reabilitação protética deste dente não tenha sido realizada de maneira a proteger o remanescente coronário de maneira adequada.

    Em 2002 a seleção brasileira conquistou o pentacampeonato mundial de futebol, a moeda Euro passou a vigorar na União Européia, um futuro ex-presidiário foi eleito presidente do Brasil, Chico Xavier morreu, Suzane Von Richthofen ficou conhecida por participar do assassinato dos pais, o celular da moda era um Nokia 3310, o iPod foi lançado mas provavelmente você ainda ouvia músicas num CD, Popó tornou-se bi-campeão mundial de boxe, ocorreu uma epidemia de dengue no Brasil e eu completava 4 anos de formado.
    Muita coisa mudou de lá pra cá, seja no mundo, no Brasil, na Odontologia, na própria Endodontia, na minha vida, ou seja na dentição deste paciente, mas o tratamento endodôntico realizado no dente 26 permanece íntegro, estável e proporcionando saúde ao paciente ao longo destes 19 anos de acompanhamento.
    Além de ficar alegre em saber que o caminho escolhido estava certo e que aquilo que fora realizado tanto tempo atrás resolveu o problema do paciente, a felicidade maior para mim está no fato de ainda ser depositário da  confiança do paciente em permanecer sob os meus cuidados por tão longo tempo.
    Que o ano de 2002 seja infindável!
 

Núcleo de preenchimento com resina composta confeccionado imediatamente após o tratamento endodôntico: a certeza de que o dente terá uma sobrevida maior!

(Clique na imagem para ampliar)

    Outro caso clínico de tratamento endodôntico realizado em molar inferior, também com diagnóstico clínico de pulpite irreversível sintomática.
    Previamente ao acesso à câmara pulpar, foi realizado a remoção de todo o tecido cariado presente na face mesial e confeccionado a reconstrução desta parede com resina composta, a fim de criar condições clínicas ideais para a execução do tratamento endodôntico.
    Os canais foram obturados empregando-se o cimento AH Plus associado à cones de guta-percha pela técnica da termoplastificação da guta-percha.
    Ao final da obturação dos canais o espaço da câmara pulpar foi totalmente preenchido com resina composta (núcleo de preenchimento) e o caso encaminhado para realização de tratamento reabilitador protético (onlay). Assim feito, este dente terá uma maior previsibilidade de sucesso, pois além de facilitar o trabalho do protesista, aumentará a sobrevida deste elemento dental minimizando riscos de possíveis ocorrências de fratura do remanescente coronário.

 

Tratamento de canal - Tratamento endodôntico - Endodontia de molar inferior.

(Clique na imagem para ampliar)

    Este molar inferior apresentava-se com diagnóstico clínico de pulpite irreversível sintomática.
        O acesso coronário à câmara pulpar, após realização da remoção completa do tecido cariado presente na face mesial, foi realizado preservando ao máximo a estrutura coronária remanescente.
        Finalizado o tratamento endodôntico, em ato contínuo foi confeccionado um núcleo de preenchimento com resina composta. Observar preenchimento do espaço correspondente aos cornos pulpares distais.